22.8.15

27.08. Esquece tudo. Preciso sair o mais breve de onde estou. Tudo está parado como o ar desse agosto, seco, quente. Não estou no lugar que quero. Não estou fazendo o que pensei em fazer. Talvez esteja com a pessoa certa. Ela me faz bem, mas não é suficiente para se aquietar. Mas... Acorde cedo e durma tarde! Tenho um semestre longo pela frente, uma tese para concluir. Essas obrigações me seguram, em uma posição que não quero, mas me seguram.

25.08. O sol das 16 horas no meio do ano é fantástico. Tenho gostado mais dele do que as madrugadas. Na madrugada todos dormem - e como o mundo se torna belo. Só que sob esse sol, o meu cansaço se torna milhões de idéias. - Sei que entre elas está a que procuro. Só uma.
De certo, que eu não queria estar aqui. Tenho como certeza que meu lugar é onde posso mornar a alma o dia todo. Um lugar frio e sem muitas pessoas. Já vivi no sul, agora vou procurar o norte.

Sim.

21.8.15

algumas palavras em comum. uma frase parecida. talvez uma coincidência, talvez para parecer coincidência. 4 meses fora, e ao voltar na terça, já me acho na quinta. me alegro. e me alegro novamente. ainda tenho você comigo.
bela a foto vermelha: os lábios que quero, os olhos claros, a posição das mãos que revela espontaneidade. bela também a foto só com o rosto que encontrei do lado: agora é uma boca, e a desejo mais.
fim-de-semana de trabalho adiante. sozinho, no fim das noites, tentarei não pensar. tudo pode retornar ou me levar a sumir por mais 4 meses.

28.4.15

Um ardor que irradia do meu peito às extremidades do meu corpo, quando sinto o que me liga ao que tive de nós. Pouco é sempre o que temos de qualquer coisa que importa. Resignar-se é o fim do aprendizado.

Aline.

21.4.15

Sobre como as coisas irão terminar, o que espero?
Muito pouco.
Nada irá ser como todos queriam no início de eu começar tudo isso.
Os motivos, as culpas estão nas mãos de muitas pessoas que conheci e criei.
Se me vejo como cúmplice? Neste exato momento em que lhe digo, e em todos os demais em que me lembrar do estou lhe dizendo agora, não.
Quem escolheu esse caminho não foi eu. Todas as vidas negadas e interrompidas foram escolhas de pessoas que eu já fui e espero não ser novamente.

4.4.15

Em mais uma noite de trabalho. Trabalho para viver. Viver enquanto não vier o sono.  


20.3.15

Bem, a menina triste ainda me dá sua mão quando estou triste.
Não me torno menos triste por isso. Dores se somam. Eu não mudo.
Vou lá e não a leio. Nada ali que eu entenda.

Procuro uma música da época mais triste de minha vida.
Saudade de toda aquela tristeza?
Hábito.

E de repente me encontro sentindo como um apaixonado.
E essa velha paixão que me faz velho.
Amanhã rejuvenesço eternamente.

Pensava nela todos os dias quando eu acordava.
Nas manhã frias, fazia um café para nós dois.
Um novo outono sempre chega para aproximar eu dela.

O que eu lhe diria hoje? Talvez isso:
"I don't mind, if you don't mind.
Cause, I don't shine, if you don't shine."?
Sem chance.